Sobre o saudável suco verde e sobre a frutose





Suco verde e frutoseQuem conhece nosso trabalho sabe que somos divulgadores da ideia de tomar o suco verde todos os dias. Essa recomendação se baseia em artigos científicos e na experiência clínica de muitos médicos e nutricionistas, que tem observado que o suco verde apresenta potencial terapêutico impressionante.

Nós sempre ensinamos, em nossos cursos, a preparação do suco verde coado em pano de voal. Essa recomendação se baseava em 3 princípios: 1) as fibras provenientes de folhas como a couve são para muitas pessoas de textura desagradável, e são constituídas principalmente por celulose, que nós não conseguimos digerir. 2) O suco verde coado, sem fibras, apresenta uma quantidade enorme de nutracêuticos, que dessa forma conseguem chegar mais rápido às células. 3) Quando o suco é coado, conseguimos beber uma quantidade maior de suco, e portanto, ingerir uma maior quantidade de nutracêuticos.

Entretanto, venho aqui pedir desculpas publicamente, pois a forma como temos ensinado o suco verde está inadequada. Quando coamos as fibras da maçã, junto com as fibras das folhas, isso aumenta a velocidade de absorção da frutose e da glicose. Uma única maçã pode ter até 8g de frutose. 64% dos carboidratos da maçã são frutose. Ainda, quando coamos a fibra da maçã, perdemos a maior parte da quercetina (que se encontra na casca). A quercetina é um nutracêutico que apresenta inúmeros efeitos benéficos no organismo, dentre eles, a diminuição da descarga de insulina, a proteção de células beta do pâncreas e a diminuição da resistência à insulina (RI). Observou-se que a quercetina causa uma diminuição na produção de insulina, apresentando assim, um efeito de proteção das células-B. A frutose em excesso também pode gerar RI. Quercetina tende a diminuir a RI.

Sendo assim, para quem não se importa com muita fibra, recomendamos tomar o suco verde sem coar. Mas para quem sente uma sensação desagradável com muitas fibras (especialmente as fibras das folhas verdes, que tem muita celulose), acreditamos em um meio termo. Dessa forma, sugerimos 4 formas de preparação: 1) faça o suco verde sem a maçã. Coe em pano de voal. Depois adicione a maçã e a polpa do coco, bata no liquidificador e tome sem coar; 2) faça o suco verde normalmente, mas coe o suco em peneira grossa, que deixa passar muitas fibras. 3) Tente não utilizar a maçã no suco verde, e utilize outros "adoçantes" como a folha de estévia, a batata yacon, a cenoura e a abóbora. Assim, você poderá até coar com o voal, pois estes vegetais tem muito pouca glicose e frutose; 4) Faça o suco verde coado em voal, e depois adicione sementes de chia ou de linhaça hidratadas no suco. Elas tendem a diminuir o índice glicêmico do suco.

Lembrando que a recomendação de consumo de frutose por dia é de até 25g. Uma maçã pode ter até 8g de frutose. A Frutose é rapidamente direcionada para a glicólise no fígado. Mais do que a glicose. Isso porque ela não é regulada pela PFK (fosfofrutoquinase), que é a enzima da via glicolítica que regula a glicose. O fígado não consegue controlar a frutose que vai chegando. O que vai chegando vai entrando na célula hepática. Por isso que o excesso representa um risco para o fígado. Por isso que há muitos trabalhos mostrando que o consumo exagerado de frutose pode causar esteatose hepática.

É importante lembrar que o xarope de agave, muito utilizado por muitos chefs de cozinha, ou recomendado por muitos nutricionistas, especialmente para diabéticos, possui alto teor de frutose, assim como o xarope de milho com alto teor de frutose. No caso do agave, dos carboidratos presentes, 74% são frutose e 26% são glicose. É uma quantidade significativa de frutose. Soma-se a isso a frutose do suco de laranja (que geralmente é coado), da banana, do mamão, da maçã do suco verde, e facilmente a pessoa pode passar da ingestão recomendada de 25g de frutose/dia. Frutose, em excesso, faz muito mal ao organismo. Frutose vira frutose-1-P (através da frutoquinase). Frutose-1-P vira gliceraldeído, e que entra na via glicolítica na forma de gliceraldeído-3-P. Ou então frutose vira DHAP (diidroxiacetonafosfato), que é convertida a glicerol, que vai virar gordura. A frutose, no fígado, na maioria das vezes vai servir para sintetizar gordura. Frutose, em excesso, está envolvida na síndrome metabólica. Células cancerosas possuem uma preferência 10 vezes maior por frutose do que por glicose.

Não pretendo assustar ninguém em relação a frutose. Somente fazer um alerta para os que acreditam que podem tomar suco de laranja ou outros a vontade que não vai fazer mal, ou para os que acreditam que o xarope de agave é saudável. Até mesmo o mel ou o açúcar mascavo possuem menos frutose do que o xarope de agave (cerca de 50% do mel é frutose). Para concluir, lembro que as frutas foram feitas para serem consumidas com a casca. É na casca que se encontram vitaminas, proteínas, minerais e nutracêuticos importantíssimos, como a quercetina, que na maioria das vezes, não são encontradas na polpa das frutas.

Outra dica muito importante é não usar frutas de alto Índice Glicêmico no suco verde, pois a glicose no sangue vai se elevar rapidamente. Ainda, recomendamos variar muito os ingredientes do suco verde. Nem mesmo a saudável folha de couve todos os dias não faz bem. Outro ponto muito importante é a individualização do suco verde. Você deve tomar um suco verde apropriado para o seu organismo, fazendo as devidas variações, sem fazer todos os dias a mesma receita que está no site tal...

Desejo a você todos os benefícios que o suco verde pode proporcionar, mas com as fibras!

Alguns benefícios do suco verde:
- Regenera a microbiota intestinal: limpa as bactérias "de morte" que estão habitando nossos intestinos, trazendo bactérias "da vida". Há indícios de que o suco verde possa trazer lactobacilos naturalmente presentes no solo e nas plantas;
- Oferta de fibras pré-bióticas, que servem de alimento para as bactérias benéficas do intestino;
- Estímulo à atividade enzimática plasmática e intracelular (absorção de enzimas íntegras);
- Oferta de óleos essenciais e redução de prostaglandinas inflamatórias (PG-2)
(redução da inflamação crônica);
- Reestruturação do potencial antioxidante, plasmático e intracelular;
- Redução da carga micótica do plasma (fungos no sangue);
- Redução do índice glicêmico;
- Mineralização do sangue, redução da variação da glicose sérica;
- Normalização da atividade elétrica das hemácias - redução da viscosidade sanguínea;
- Homeostase hidro-mineral e alcalinização do terreno biológico (pH sanguíneo, celular e intersticial);

Sou muito grato ao professor Henrique Freire Soares, que tanto tem me ensinado sobre a nutrição, a bioquímica e a vida.

31/01/2014 - 12:30

Fonte: Semente N'Ativa

Palavras-chave: suco verde, frutose

 
Telefone (61) 8141-2299 »  Skype: adrianogc2 Desenvolvido por Marcelo Coelho